Oficiais dos EUA recebem reprimendas por morte de 23 civis no Afeganistão

Cabul, 29 mai (EFE).- Seis oficiais das forças dos EUA no Afeganistão receberam reprimendas e admoestações pelos erros que cometeram no último mês de fevereiro, causando a morte de 23 civis em uma operação militar.

EFE |

Cabul, 29 mai (EFE).- Seis oficiais das forças dos EUA no Afeganistão receberam reprimendas e admoestações pelos erros que cometeram no último mês de fevereiro, causando a morte de 23 civis em uma operação militar. Em comunicado divulgado neste sábado, o comandante das forças americanas, o general Stanley McChrystal, expôs os resultados de uma investigação sobre o ataque, revelando "várias deficiências no treino, nas comunicações e na tomada de decisões" do contingente. McChrystal, que também comanda as forças da Otan no Afeganistão, entregou esta semana ao presidente afegão, Hamid Karzai, os resultados da investigação e explicou as medidas adotadas. Entre elas, o general publicou "memorandos de reprimenda" a quatro oficiais e "memorandos de admoestação" a dois oficiais de menor grau por sua responsabilidade nos fatos. No total, 23 civis morreram e 12 ficaram feridos no dia 21 de fevereiro, em um bombardeio das forças americanas contra um comboio de veículos na província de Uruzgan (sul), que foi confundido com um grupo de insurgentes. A operação teve a participação de uma unidade de forças especiais dos EUA com apoio da aviação e do pessoal a cargo de um avião não-tripulado. A investigação concluiu que o pessoal do avião "enviou relatórios incorretos" e que os postos de comando no terreno "erraram ao analisar a situação", de modo que o comandante da força "ficou sem uma compreensão clara de quem ia nos veículos". Mais ainda, "o pessoal do avião ignorou ou minimizou a informação de que o comboio não era uma força atacante". Citado no comunicado, Karzai expressou sua confiança de que as forças dos EUA adotariam as "ações apropriadas a respeito daqueles envolvidos no incidente e, mais importante, as medidas para prevenir" outros similares no futuro. Entre as medidas, McCrystal anunciou que o comando americano fará "mudanças" no treino para operações contra a insurgência. Também disse que a Direção de Treinamentos das Forças dos EUA e o comando das forças da Otan desenvolverão um "equipamento móvel de treino para avaliar e treinar as unidades de postos de comando no terreno em operações contra os insurgentes". Dos 2.412 civis falecidos no conflito afegão em 2009, 596 foram vítimas de operações das forças afegãs e internacionais, enquanto 60% morreram por causa de ataques aéreos como o de Uruzgan, segundo dados da missão da ONU. EFE nh-ja/fm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG