Argel, 5 mai (EFE) - Oficiais do Exército regular de Mali estão envolvidos nas redes de abastecimento aos terroristas da organização Al Qaeda no Magrebe Islâmico (AQMI), afirmou hoje o jornal argelino Le Soir dAlgérie.

O periódico, que cita fontes de segurança, afirma que os oficiais malineses fornecem à AQMI armas, munição e meios de comunicação em troca de dinheiro e mercadorias de contrabando, especialmente cigarros, alimentos e combustíveis.

Os oficiais aproveitam o estado de sítio em vigor na região de Kidal, no norte de Mali, por causa dos confrontos com os tuareg locais, para enriquecer, indica o jornal.

A mesma fonte afirma que Mokhtar Belmokhtar, conhecido como Belaouar - um dos mais antigos dirigentes do Grupo Salafista para a Pregação e o Combate (GSPC), que passou a se chamar AQMI em 2006- se encarrega da compra do material fornecido pelos oficiais.

A faixa do Sael -que compreende o sul da Argélia, o sudoeste da Líbia, o norte de Mali e o de Níger- é uma zona difícil de controlar pelas respectivas autoridades nacionais na qual ocorre uma intensa atividade de contrabando.

O norte de Mali vive, além disso, uma situação instável devido aos contínuos choques entre os rebeldes tuareg de Kidal, dirigidos por Ibrahim Ag Bahanga e Hassan Fagaga, e as tropas de Bamaco. EFE sk/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.