Ofensivas matam 31 talibãs no Afeganistão

Cabul, 3 mai (EFE).- Pelo menos 31 supostos talibãs e quatro soldados afegãos morreram em duas operações da coalizão liderada pelos Estados Unidos e das forças afegãs no centro e no leste do Afeganistão, informaram hoje fontes oficiais.

EFE |

O Ministério da Defesa afegão disse hoje, em comunicado, que "centenas de insurgentes, a maioria deles estrangeiros e membros da Al Qaeda", atacaram um posto militar na sexta-feira no distrito de Ghazni Abad, situado na província de Kunar.

Os fundamentalistas mataram quatro soldados e feriram outros três, segundo o ministério.

Nas seguintes 48 horas, comandos de elite afegãos - com apoio de ataques aéreos dos EUA - reagiram e mataram 19 insurgentes na zona, afirmou o comando americano, em comunicado, versão confirmada pelo Ministério da Defesa afegão.

Os comandos, acompanhados por uma brigada militar de inteligência americana, realizaram uma "patrulha de reconhecimento" no Vale de Helgal, "conhecido pela presença de insurgentes" e situado no distrito de Shakail Shatel, segundo as forças dos EUA.

As forças conjuntas foram atacadas por um grupo de homens que estavam com armas leves, e depois receberam "apoio aéreo", e o conseguinte bombardeio americano matou sete supostos insurgentes, segundo o comando.

Começou então um novo combate, acompanhado de outro ataque aéreo, no qual 12 fundamentalistas morreram.

"Devido à perícia destas forças de elite, os insurgentes estão perdendo rapidamente sua habilidade de operar nesta região", afirmou na nota um porta-voz da coalizão liderada pelos EUA.

O Ministério da Defesa também informou sobre outros enfrentamentos registrados na província de Uruzgan.

Doze supostos talibãs, entre eles três líderes fundamentalistas, morreram em combates com a coalizão liderada pelos EUA e pela Polícia afegã no distrito de Charcheno, segundo o ministério. EFE nh-amp/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG