Ofensiva israelense se aproxima de seus objetivos, diz primeiro-ministro israelense

A ofensiva israelense na Faixa de Gaza está se aproximando de seus objetivos, mas seguirá adiante por enquanto, afirmou neste domingo o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert.

Redação com agências internacionais |


"Israel está se aproximando de seus objetivos, mas é preciso mais paciência e determinação para alcançar estes objetivos e mudar a situação em termos de segurança no sul, para que seus cidadãos vivam em segurança durante um longo período", declarou Olmert na abertura do conselho de ministros.

"Não devemos permitir que o que conseguimos graça a um esforço nacional sem precedentes nos escape às mãos", acrescentou.

Exército cobra o governo israelense

O Exército israelense continuou neste domingo sua ofensiva na Faixa de Gaza com bombardeios e confrontos armados ao longo da região, enquanto a cúpula militar pede ao governo que decida já entre proclamar um cessar-fogo ou lançar a "terceira fase" da operação.

A aviação israelense atacou esta madrugada cerca de 60 alvos, entre eles a casa de Ahmed Yabri, o chefe do braço armado do Hamas, as Brigadas de Ezzedin al-Qassam, diz o Exército em comunicado.

Yabri, como o resto de dirigentes do Hamas, se encontrava na clandestinidade desde o início da operação, no dia 27 de dezembro.

A nota acrescenta que vários milicianos palestinos foram "atingidos" em troca de fogo com as tropas israelenses, no 16º dia da ofensiva na qual 854 palestinos morreram e mais de 3.500 ficaram feridos, segundo a apuração dada a conhecer ontem à noite por fontes médicas palestinas.

Uma mesquita na cidade de Rafah, no sul de Gaza, também foi bombardeada por se tratar de um "armazém de armas, campo de treinamento e lugar de reunião de membros do Hamas", segundo o Exército israelense.

Enquanto se continuam os esforços diplomáticos para se alcançar um cessar-fogo, a hierarquia militar israelense acredita que chegou o momento de o Governo decidir entre cessar as hostilidades ou ampliar sua operação, segundo fontes militares citadas pela imprensa locais.

Segundo o jornal "Haaretz", Israel continuará a operação para pressionar o Egito para que aceite forças internacionais em sua fronteira com Gaza, forrada por dezenas de túneis subterrâneos pelos quais entram de contrabando bens de primeira necessidade e armas.

(Com informações da EFE e da AFP)

Leia também

Vídeos

Opinião



    Leia tudo sobre: exércitofaixa de gazagazaisrael

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG