OEI colaborará com educação nas prisões brasileiras

Brasília, 8 abr (EFE) - A Organização de Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI) prestará assessoria em planos de educação nas prisões do Brasil para facilitar a reinserção social dos detentos, em mais uma parceria do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci).

EFE |

O Ministério da Justiça explicou em comunicado que a OEI fornecerá experiências que, nesse sentido, já desenvolveu em outros países ibero-americanos.

Segundo o ministro da Justiça, Tarso Genro, "todos os projetos do Pronasci foram experimentados em algum lugar do mundo e adequados à realidade brasileira".

O secretário-geral da OEI, o espanhol Álvaro Marchesi, citado no mesmo comunicado, afirmou que o projeto "dará uma nova oportunidade de vida e evitará que eles não retornem de novo às prisões".

O programa de educação será executado com colaboração da Agência Brasileira de Cooperação, cujo diretor, Luiz Henrique Pereira da Fonseca, considerou que "nas prisões a educação ganha dimensão bem maior, pois visa recuperar cidadãos".

No Brasil há atualmente 512 prisões, que têm uma população de cerca de 170 mil detentos que ultrapassa em mais de 50% a capacidade do sistema penitenciário.

O Pronasci prevê a construção de prisões especiais para jovens de entre 18 e 24 anos, algumas delas já quase concluídas e nas quais serão aplicados os programas patrocinados pela OEI, que colaborará também na formação dos professores. EFE ed/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG