OEA suspende debate sobre retorno de Cuba

Os chanceleres presentes na reunião da Organização dos Estados Americanos (OEA) em Honduras não conseguiram chegar a uma posição comum nesta terça-feira sobre o retorno de Cuba à organização, durante o primeiro dia da assembleia em Honduras, mas voltarão a abordar o tema amanhã, quarta-feira.

AFP |

Após 13 horas de debates, as delegações dos 34 países da OEA se retiraram da reunião.

Sem que os chanceleres dos países-membros chegassem a um consenso sobre a reincorporação de Cuba ao sistema interamericano, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, também deixou a 39ª Assembleia Geral da OEA .

"Não há consenso", disse ela à imprensa, pouco antes de deixar Honduras em direção ao Egito, onde vai se encontrar com o presidente dos EUA, Barack Obama, que inicia uma viagem oficial ao Oriente Médio nesta quarta-feira.

Segundo a secretária de Estado, a posição dos Estados Unidos - de condicionar a reincorporação de Cuba a reformas em democracia e direitos humanos - estava praticamente isolada.

"Estávamos a ponto de obter um acordo, mas infelizmente alguns países simplesmente não podiam aceitar alguns aspectos da resolução acordada pela grande maioria", afirmou o chefe da diplomacia americana para a América Latina, Thomas Shannon.

"Vamos ver amanhã (nesta quarta-feira) o que poderemos fazer", completou Shannon ao deixar o Clube Árabe da cidade hondurenha de San Pedro Sula, onde acontece a assembleia da OEA.

Venezuela, Nicarágua, Bolívia e Honduras não aceitam a imposição de condições para o retorno de Cuba à OEA.

Os debates devem prosseguir amanhã entre embaixadores: a Assembleia Geral da OEA será concluída nesta quarta-feira.

du/fp/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG