OEA sugere retirar candidato governista do 2º turno do Haiti

Anúncio de resultados pós-eleição provocou onda de violência no país, em meio à epidemia de cólera

iG São Paulo |

O relatório de avaliação do primeiro turno das eleições no Haiti, elaborado por especialistas da Organização de Estados Americanos (OEA), sugere a retirada do candidato da situação, Jude Celestin, do segundo turno das eleições, informou esta segunda-feira um diplomata da ONU.

"Será muito difícil para (o presidente em fim de mandato René) Preval ignorar esta recomendação", afirmou a fonte, que pediu para ter sua identidade preservada.

O documento de avaliação sugere também que o cantor Michel Martelly, que terminou em terceiro o primeiro turno eleitoral, seja mantido na corrida presidencial, segundo o diplomata da ONU.

Segundo resultados divulgados do primeiro turno, a ex-primeira-dama, Mirlande Manigat, obteve 31% dos votos, enquanto o candidato da situação, Celestin, obteve 22%.

O anúncio dos resultados pós-eleições provocou uma onda de violência em todo o país, que obrigou Preval a pedir ajuda à OEA para a contagem dos votos.

Cólera

Além dos distúrbios pós-eleições, o Haiti enfrenta uma epidemia de cólera em que mais de 3.333 morreram. De acordo com um boletim divulgado pelo governo, 148.787 pessoas foram contaminadas e 83.166 tiveram que ser hospitalizadas.

Na quarta-feira, dia 12, o país relembra um ano do terremoto de 2010, que devastou o país e o reduziu a destroços, à espera de ajuda humanitária e reconstrução.

*Com AFP

    Leia tudo sobre: haititerremotoreconstruçãocóleraeleições

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG