OEA pede à comunidade internacional que mostre solidariedade ao Haiti

Washington, 12 jan (EFE).- O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, pediu hoje à comunidade internacional que mostre sua solidariedade real, efetiva e imediata ao Haiti, ajudando o país a atenuar os danos causados pelo terremoto.

EFE |

"A desgraça voltou a bater em um povo já tão castigado como o haitiano, desta vez em forma de um violento terremoto. Nossos pensamentos estão com as vítimas", disse Insulza em comunicado.

"É neste momento que os povos, os Governos e os líderes deste continente, como vizinhos e irmãos do povo do Haiti, devemos mostrar nossa solidariedade e apoio de uma maneira real, efetiva e imediata, guiados pelo Governo da ilha, que é quem melhor sabe onde estão as necessidades mais urgentes", apontou.

Insulza adiantou que a OEA vai iniciar seus mecanismos para "fornecer o que estiver a nosso alcance para atender aos afetados por tão catastrófico fenômeno".

Neste sentido, destacou que o Conselho Permanente do organismo, que se reúne amanhã em Washington, estudará a situação do Haiti após a catástrofe para que "todos os países possam contribuir para ajudar o Haiti nesta hora".

O secretário-geral adjunto da OEA, Albert Ramdin, foi encarregado de recolher as informações disponíveis sobre os danos materiais e humanos provocados pelo terremoto e sobre os requerimentos mais imediatos que o país caribenho necessita para informar ao conselho permanente. EFE pgp/fm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG