OEA lança declaração contra violência após assassinatos em Honduras

San Pedro Sula (Honduras), 4 jun (EFE).- A 24ª Assembleia Geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), realizada em Honduras, aprovou hoje uma declaração contra a violência, na qual pede a promoção de uma cultura de paz, depois de nove homens serem assassinados no país anfitrião.

EFE |

Os países-membros aprovaram esta madrugada em San Pedro Sula, no norte do país centro-americano, uma declaração com 32 artigos resolutivos nos quais defendem a adoção das medidas necessárias para prevenir a violência.

A declaração, pactuada antes de a OEA começar na terça-feira a Assembleia Geral, recebeu o sinal verde dos 34 países-membros, depois que na quarta-feira ocorressem os assassinatos a tiros de nove homens na comunidade de Savá, departamento de Colón, no Caribe de Honduras.

O texto do documento recolhe o "compromisso de promover, no marco do Estado de direito, uma cultura de paz e não violência", e a necessidade de "envolver todos os setores da sociedade no estímulo de uma cultura de paz e não violência".

Neste sentido, os países-membros se comprometem a "fortalecer a cooperação hemisférica" e manifestam a "importância da cooperação multilateral baseada no plenp respeito à soberania dos Estados". EFE jlp/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG