O Conselho Permanente da Organização dos Estados Americanos (OEA) exigiu nesta segunda-feira do governo de fato hondurenho o respeito à vida do presidente deposto, Manuel Zelaya, que voltou em segredo ao país e está na embaixada do Brasil em Tegucigalpa.

O secretário-geral da Organização, José Miguel Insulza, disse que está disposto a viajar ainda hoje a Tegucigalpa para contribuir com uma solução para a crise, 86 dias após o golpe de Estado.

du/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.