OEA elogia eleições bolivianas mas apuração em Pando é tensa

La Paz, 5 abr (EFE).- A Organização dos Estados Americanos (OEA) elogiou o desenvolvimento das eleições regionais e locais realizadas na Bolívia neste domingo, no entanto uma suspeita de fraude gera tensão na apuração em Pando.

EFE |

Mais de cinco milhões de bolivianos estavam habilitados para participar das eleições em que a população escolheu 2.502 novas autoridades, entre elas nove governadores, 267 deputados regionais, 337 prefeitos e 1.851 vereadores.

O chefe da Missão de Observação Eleitoral da OEA, o ex-presidente do Panamá Arístides Royo, disse hoje que o pleito foi um exemplo "de comportamento cívico e democrático, reflexo do alto grau de maturidade política existente no país".

Mas também advertiu que a OEA está ciente "de uma situação particular produzida em Pando, onde existiria um erro na contagem de 13 atas eleitorais".

A disputa apertada de votos pelo governo do departamento em plena Amazônia boliviana deixou a Corte Nacional Eleitoral (CNE) da Bolívia preocupada com o ressurgimento de tensões entre governistas e opositores.

Em 2008 a região viveu choques armados que deixaram 13 mortos.

Hoje partidários do candidato governista José Luis Flores e do opositor Paulo Bravo se enfrentaram nas ruas.

Flores denunciou uma fraude na cidade de Cobija, capital de Pando, supostamente cometida por três delegados de uma mesa eleitoral que serão acusados perante a Promotoria. Segundo as pesquisas divulgados pelos meios de comunicação, os dois candidatos estão praticamente empatados, com porcentagens entre 47 e 49%.

O resultado da votação em Pando continua uma incógnita, embora o presidente Evo Morales tenha proclamado ontem à noite o triunfo de seu partido no departamento.

Os dados extra-oficiais coincidem em assinalar que o Movimento ao Socialismo (MAS) liderado por Morales ganhou cinco departamentos: Oruro, Potosí, Cochabamba, Chuquisaca e La Paz.

A tensão em Pando levou a Corte Departamental Eleitoral (CDE) a adiar até amanhã o início da apuração dos votos até que cheguem todas as atas da área rural. A decisão foi adotada depois que um grupo de militantes do MAS protestaram nas portas da Corte, que teve que ser protegida por agentes da Polícia.

O presidente da CNE, Antonio Costas, disse hoje que pediu tanto ao comando nacional da Polícia quanto ao comando departamental que ofereçam segurança à instituição.

"A Corte tem que levar adiante uma apuração ordenada, transparente, cujo resultado final vai ser conhecido assim que a contagem terminar", disse Costas e ressaltou que qualquer organismo eleitoral necessita de um ambiente de trabalho com "tranquilidade e ordem".

O diretor acredita que em Pando existe um clima de "beligerância" e que a Corte Departamental está exposta a "muita pressão" para que tome uma decisão rápida sobre os resultados.

O presidente da CNE exortou ao povo pandino e os partidos políticos a respeitarem os resultados eleitorais e disse que nesse o organismo será "intransigente" com esse objetivo.

No mesmo sentido, se pronunciou o chefe da missão dos observadores da OEA, que pediu aos atores políticos do país tranquilidade e respeito pelos tempos da CNE para realizar o cômputo oficial dos votos.

A CNE anunciou que os resultados definitivos da votação serão anunciados no próximo 24 de abril. No entanto, o órgão eleitoral comunicou que deve colocar os resultados parciais em seu site nas próximas horas.

A votação do domingo também foi elogiada por Eugenio Meninas, presidente da União Latino-Americana de Organismos Eleitorais, que destacou que o povo boliviano "viveu uma extraordinária jornada que refletiu o civismo e a tranquilidade de um alta participação cidadã". EFE ja/pb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG