OEA condena plano de atentado contra o presidente da Bolívia

PORT OF SPAIN (Reuters) - A Organização dos Estados Americanos (OEA) condenou nesta sexta-feira uma tentativa de atentado contra o presidente da Bolívia, Evo Morales, diante da existência de claras evidências de um plano para realizar um assassinato no país. O secretário-geral da organização, José Miguel Insulza, informou a jornalistas que fará uma declaração condenando este tipo de ação e que espera que a Cúpula das Américas também se pronuncie a respeito.

Reuters |

Insulza disse que tomou a decisão após reunir-se com o chanceler da Bolívia, David Choquehuanca, em Trinindad e Tobago, durante a 5a Cúpula das Américas, em um encontro em que a autoridade boliviana informou sobre o plano de assassinato.

"Vou fazer uma declaração...condenando decididamente este tipo de ação e espero que a cúpula também reconheça, porque isto ocorreu às vésperas da Cúpula das Américas", informou Insulza a jornalistas.

O governo da Bolívia disse na quinta-feira que conseguiu impedir um plano de assassinato e que forças da segurança locais haviam matado três pessoas durante o confronto e detido outros dois no centro da cidade de Santa Cruz, a oeste do país, região de forte oposição a Morales.

Em meio a uma crescente tensão política no país, as autoridades bolivianas disseram que o complô, cujo alvo seria o presidente Morales, teve a participado mercenários internacionais.

(Reportagem de Damián Wroclavsky)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG