OEA acredita que Colômbia e Equador desejam normalizar laços

Bogotá, 10 abr (EFE) - A missão da Organização dos Estados Americanos (OEA) encerrou hoje em Bogotá suas tarefas em busca de uma solução à ruptura das relações entre Colômbia e Equador, com a certeza de que os dois Governos estão dispostos a restabelecer de maneira progressiva seus laços.

EFE |

"Nós iremos satisfeitos", afirmou o chefe da delegação, o boliviano Víctor Rico, ao confirmar na Chancelaria colombiana sua viagem de quatro dias pelos dois países, iniciada em 7 de abril na capital equatoriana.

O diplomata declarou em um encontro com a imprensa que a sua foi "uma missão importante, mas ao mesmo tempo delicada" que o obriga a conduzir "todo tipo de respostas, considerações e propostas" de maneira direta com os Governos relacionados.

No entanto, disse que voltará a Washington "com a convicção da disposição clara, tanto da Colômbia quanto do Equador, para avançar de maneira progressiva na normalização das relações entre os dois países".

"É com esta convicção que vou começar meu relatório para o secretário-geral (da OEA, o chileno José Miguel Insulza) amanhã", acrescentou Rico ao aludir ao objetivo de sua tarefa.

A OEA antecipou que o relatório da missão servirá para que Insulza concretize "propostas que acelerem a implementação de mecanismos que abram caminho à superação do conflito que levou à ruptura de relações do Equador e da Colômbia".

"As reuniões em Quito foram muito positivas", disse em Bogotá o líder da missão, avaliando da mesma maneira as reuniões de quarta-feira na capital colombiana.

Na ocasião, ele se reuniu com os titulares de Exteriores, Fernando Araújo; de Defesa, Juan Manuel Santos, e do Interior e Justiça, Carlos Holguín, além de altos comandantes dos organismos de segurança e o procurador-geral, Mario Iguarán. EFE jgh/bf/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG