OEA abre as portas para reintegração de Cuba após 47 anos de exclusão

A Organização dos Estados Americanos, OEA, deixou sem efeito nesta quarta-feira a resolução que excluiu Cuba, em 1962, abrindo as portas para a reintegração da Ilha, segundo resolução aprovada por consenso no plenário de sua assembleia, em Honduras.

AFP |

"A Resolução VI, adotada em 31 de janeiro de 1962 na oitava reunião de consulta de ministros das Relações Exteriores, através da qual o governo de Cuba foi excluído (...), fica sem efeito na Organização dos Estados Americanos", indica a resolução lida pela chanceler de Honduras e presidente da assembléia, Patricia Rodas.

"A participação de Cuba na Organização dos Estados Americanos será resultado de um processo iniciado a pedido do governo de Cuba", continua o texto, que deixa para Cuba a iniciativa para que sua reincorporação seja concretizada.

A delegação dos Estados Unidos que deu o seu apoio foi liderada pelo representante para a América Latina do Departamento de Estado, Thomas Shannon, depois que a secretária de Estado, Hillary Clinton, deixou na terça-feira Honduras para se juntar ao presidente Barack Obama em sua viagem pelo Oriente Médio.

"Removemos um impedimento histórico para a participação de Cuba (...) mas também se estabelece um processo para iniciar contatos com Cuba baseado nos princípios e práticas da OEA e no sistema interamericano", ressaltou Shannon.

O texto aprovado indica que para Cuba retornar deve seguir "as práticas, os propósitos e os princípios da OEA", que entre outros inclui a Carta Democrática da organização.

du/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG