Odor específico do câncer de pele facilita detecção da doença (estudo)

O câncer de pele desprende um odor característico, de acordo com estudo desenvolvido por químicos americanos e divulgado nesta quarta-feira, o que pode permitir a detecção rápida, por meio de um simples teste.

AFP |

"Os pesquisadores suspeitavam, há muito tempo, que odores emanavam dos tumores, mas nós somos os primeiros a identificar e a mensurar os componentes contidos nesses odores", comenta a química e principal autora do estudo, Michelle Gallagher, do Monell Chemical Senses Center, na Filadélfia (Pensilvânia, leste dos EUA).

O trabalho deve ser apresentado na última conferência anual da American Chemical Society, na Filadélfia.

"Esse avanço abre caminho para novas abordagens potenciais para diagnosticar o câncer de pele, baseado no perfil dos odores da pele, que, esperamos, levará a diagnósticos mais rápidos e sem fazer biópsias", acrescenta a pesquisadora, em um comunicado.

Para determinar se os odores da pele mudavam nas pessoas com esse tipo de câncer, Michelle e outros cientistas utilizaram técnicas avançadas de cromatografia, um método de análise físico-químico.

Esse método lhes permitiu coletar amostras e analisar o ar que estava logo acima dos tumores de 11 pacientes diagnosticados com um epitelioma basocelular, a forma mais comum de câncer de pele.

Mais de um milhão de novos casos desse tipo são descobertos todo ano.

Em seguida, a equipe comparou o perfil das substâncias químicas detectadas acima dos tumores dos 11 doentes para obter um perfil cromatográfico.

"Encontramos um perfil de odores acima dos tumores diferente daquele dos tecidos saudáveis", explicou Michelle Gallager.

js/tt/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG