Obsessão pelo dinheiro gerou crise, diz arcebispo de York

Londres, 11 abr (EFE).- O arcebispo de York, John Sentamu, afirmou hoje que a crise financeira era inevitável, em razão da obsessão da sociedade pelo dinheiro.

EFE |

Em mensagem de Páscoa publicada pelo jornal "Daily Telegraph", Sentamu, segundo clérigo mais importante da Igreja da Inglaterra depois do arcebispo de Canterbury, criticou os banqueiros por sua cegueira diante do que acontecia nos mercados desregulados.

Na opinião do religioso, os responsáveis pelos bancos deveriam ter levado em conta as palavras de Thomas Jefferson - terceiro presidente dos Estados Unidos -, que disse que os bancos sem regulação têm o poder de "destruir pessoas, comunidades e nações".

"Como sociedade, nossa perseguição coletiva pelo dinheiro obteve sua recompensa e o colapso era inevitável", assinalou o arcebispo de York.

"Realmente acreditávamos que as taxas de juros, os preços das casas e as ofertas de hipotecas continuariam aumentando sem limites, como um malabarista que acrescenta mais e mais bolas a sua atuação, mas continua tendo somente duas mãos para agarrar todas?", perguntou Sentamu. EFE pa/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG