Observadores internacionais dão sinal verde a eleições mauritanas

Nuakchott, 20 jul (EFE).- As missões de observação enviadas por seis organizações internacionais para as eleições presidenciais realizadas no sábado na Mauritânia comemoraram hoje o desenvolvimento satisfatório do pleito.

EFE |

Também destacaram, segundo um comunicado conjunto divulgado em entrevista coletiva em Nuakchott, "o clima de serenidade e responsabilidade no qual as eleições foram realizadas".

Os principais candidatos da oposição acusaram ontem o general golpista Mohammed Ould Abdelaziz, vencedor das eleições com 52% dos votos, de ter cometido fraude para assegurar sua vitória no primeiro turno.

O principal bloco da oposição, a Frente Nacional de Defesa da Democracia (FNDD), criticou a comunidade internacional hoje por "não ter cumprido com suas responsabilidades" na organização de eleições justas e transparentes.

No entanto, os mais de 300 observadores das seis missões constataram "um bom funcionamento dos colégios eleitorais, um controle correto do processo por parte dos presidentes e membros das mesas e uma participação provada da Comissão Eleitoral Nacional Independente (Ceni)".

Os seis organismos presentes foram a União Africana, a Organização Internacional da Francofonia, a Organização da Conferência Islâmica, a Liga Árabe, a União do Maghreb Árabe e a Comunidade Estados do Sael e do Saara.

As organizações destacaram "uma presença importante de delegados dos candidatos nas mesas e a transparência e o rigor na apuração".

No balanço negativo, os observadores lamentaram a "presença invasiva das forças de segurança, as palavras de ordem de alguns militantes de partidos junto às mesas eleitorais, a distribuição de um pequeno número de cédulas eleitorais e a quantidade limitada de observadores nacionais".

Sobre as acusações de fraude, as missões aconselharam aos candidatos que queiram contestar o resultado que recorram às vias legais e expressaram seu desejo que "estas eleições possam abrir a via a uma vida política tranquila". EFE mo-er/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG