Observadores da UE elogiam abertura de eleições no Equador

Quito, 26 abr (EFE).- O chefe da missão de observadores eleitorais da União Europeia (UE), o português José Ribeiro e Castro, disse hoje que o procedimento de abertura das eleições equatorianas foi bom, mas lembrou que houve atrasos em 20% das mesas eleitorais analisadas.

EFE |

Ribeiro e Castro divulgou à imprensa os dados recolhidos pelos observadores eleitorais até a metade da manhã e afirmou que, "de um modo geral, as coisas foram bem, já que não houve queixas, distúrbios ou atos de intimidação".

Entretanto, o chefe da missão da UE comentou sobre a existência de alguns casos de boca de urna.

"Quando uma figura política muito notória vai votar, há a pressão da imprensa, mas os candidatos devem evitar fazer declarações de proselitismo político", disse em referência ao que ocorreu com o candidato presidencial Lúcio Gutiérrez e com candidatos da aliança do chefe de Estado do país, Rafael Correa, que concorre à reeleição.

Ribeiro e Castro assinalou que faltava algum tipo de material eleitoral em quase 20% das mesas observadas, mas disse que não foi uma situação "grave" e que "não impediu o funcionamento das juntas".

A UE enviou mais de 100 observadores para acompanhar o processo eleitoral equatoriano em todas as províncias do país e prevê emitir um primeiro relatório de avaliação na próxima terça-feira. EFE ic/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG