Uma casa de leilões arrematou vários objetos que pertenceram ao herói da independência da Índia, Mahatma Gandhi, por US$ 1,8 milhão, desafiando a decisão de cancelamento do dono. James Otis havia retirado o pedido de leiloar os pertences formalmente nesta quinta-feira, por isso o leiloeiro concordou em esperar duas semanas para finalizar a venda.

Reuters

Indiano dá o lance final para comprar os objetos de Gandhi em leilão

Um empresário indiano comprou os objetos, entre eles os emblemáticos óculos redondos do líder da não-violência, durante um polêmico leilão, realizado apesar de o vendedor ter pedido à Antiquorum Auctioneers que "retirasse as peças do leilão, devolvendo-as", conforme alegou.

Os leiloeiros anunciaram que vão dar um prazo de duas semanas antes de entregar os artigos ao comprador, para solucionar possíveis disputas legais.

O governo indiano alega que esses objetos pertenceram ao pai da independência indiana, pelo que são patrimônio nacional que deve ser devolvido ao país.

O homem que organizou o leilão dos objetos de Mahatma Gandhi, entre eles seus óculos, havia anunciado nesta quinta-feira tê-lo cancelado. James Otis, proprietário dos óculos e de outros bens pessoais do célebre indiano havia declarado que aceitou, a princípio, cancelar o controvertido leilão e disse que doaria os itens à Índia, mas o governo de Nova Délhi rejeitou as condições de um possível acordo nesse sentido.

James Otis também disse ter aceitado, em conversas no consulado indiano de Nova York, doar os óculos, as sandálias e outros pertences de Gandhi em troca de uma melhoria dos serviços de saúde para os pobres na Índia e de uma exposição internacional dos objetos.

As negociações foram realizadas horas antes do início do leilão no Antiquorum Auctioneers. "A última coisa que ouvi é que o governo indiano aceitou os termos de minha proposta", afirmou Otis, um ativista da paz e documentarista.

No entanto, o vice-ministro das Relações Exteriores da Índia, Anand Sharma, rejeitou nesta quinta-feira a oferta de última hora.

"Gandhi teria recusado estas condições. O governo da Índia, representando a soberania do povo desta república, não pode entrar em acordos que envolvam áreas específicas de distribuição de recursos", afirmou Sharma, citado pela agência indiana Press Trust.

Além dos óculos, o acervo inclui as sandálias de couro e o relógio de bolso de Mahatma Gandhi.

AFP
Óculos de Gandhi é um dos objetos

Óculos de Gandhi é um dos objetos da coleção

A Antiquorum havia estabelecido um preço de US$ 20 mil a US$ 30 mil dólares pelos objetos, mas com a publicidade em torno do caso os lances levaram a um valor final de US$ 1,8 milhão.

Segundo o Antiquorum, os clássicos óculos redondos usados pelo pai da independência indiana foram dados a um coronel que o procurou para pedir conselhos.

"Gandhi disse que seus óculos foram os 'olhos' que lhe deram a visão de uma Índia livre", indica o Antiquorum em seu catálogo de vendas.

As sandálias foram entregues a um funcionário britânico em 1931, aparentemente depois que este tirou uma foto de Gandhi, informa ainda o Antiquorum.

E o relógio Zenith, de 1910-1915, foi oferecido por Gandhi a sua sobrinha-neta, que o auxiliou durante seis anos e nos braços de quem Gandhi morreu quando foi assassinado em 1948.

Mohandas Karamchand Gandhi, mais conhecido como Mahatma ("grande alma") Gandhi, foi o líder do movimento de desobediência civil que resultou na independência da Índia da Grã-Bretanha em agosto de 1947.

Nascido em 2 de outubro de 1869 no nordeste da Índia, Gandhi foi assassinado em Nova Délhi em 30 de janeiro de 1948 pelo extremista hindu Nathuram Godse.

(Com informações da AFP e AP)

Leia mais sobre Gandhi


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.