ganhar o povo, diz R.Unido - Mundo - iG" /

Objetivo de ofensiva no Afeganistão é ganhar o povo, diz R.Unido

Londres, 14 fev (EFE).- O ministro da Defesa do Reino Unido, Bob Ainsworth, disse hoje que o principal objetivo da operação militar lançada na madrugada de sábado no Afeganistão é ganhar dos afegãos.

EFE |

"O verdadeiro teste é saber se somos capazes de continuar controlando o território e se podemos dar segurança à população, além de ganhar suas mentes e seus corações", declarou Ainsworth à "BBC".

O ministro lamentou o fato de um soldado americano e outro britânico terem morrido nos confrontos, mas destacou que "as coisas estão indo extremamente bem". "É um plano bem pensado e bem aplicado. Por enquanto, estamos indo muito bem", acrescentou.

Ainwsorth também destacou a importância da participação das tropas afegãs na ofensiva, já que, em breve, elas assumirão a responsabilidade de garantir a estabilidade e a segurança em todo o país.

Sobre o fácil avanço das forças aliadas na atual ofensiva, o britânico comentou que está relacionada à estratégia dos rebeldes de evitar o confronto direto. "Alguns foram embora e outros esconderam suas armas e se camuflaram no meio do povo".

Ainda sobre os afegãos, o titular da pasta de Defesa disse entender a preocupação da população do sul do país com eventuais represálias dos talibãs e a reticência dela em ajudar as tropas estrangeiras.

"Eles ficam preocupados com a possibilidade de não ficarmos, de não continuarmos dando a eles segurança. Portanto, (...) teremos que ganhar a confiança deles. É nos próximos meses que acontecerá o verdadeiro teste", declarou.

Outro objetivo, ressaltou, é garantir "recursos para que a população local tenha um meio de subsistência e não precise mais cultivar papoula ou se armar para lutar com os talibãs".

Ainsworth admitiu que também será preciso negociar com os rebeldes e que "ganhar a população significará, em algum grau, ganhar alguns elementos que no passado foram contra e alvejaram as tropas aliadas". EFE fpb/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG