Obesidade na gravidez pode afetar saúde do bebê

(Embargada até às 19h de Brasília). Londres, 10 fev (EFE).- A obesidade na gravidez aumenta a possibilidade de o bebê nascer com problemas congênitos, segundo estudo divulgado pela Universidade de Newcastle, na Inglaterra.

EFE |

O relatório publicado na revista da Associação Médica Americana constatou que, comparando com as mulheres dentro do peso ideal, as mães obesas tem um risco duas vezes maior de dar à luz bebês com problemas.

O excesso de peso, principalmente nos três primeiros meses de gestação, foi associado a um maior risco de a criança apresentar problemas cardíacos, hidrocefalia, má-formação anal, entre outras complicações.

No entanto, os pesquisadores lembraram da baixa incidência de nascimentos de bebês com problemas derivados da obesidade de suas mães.

"A obesidade materna está associada ao aumento do risco de anomalias estruturais nos bebês. Mas este aumento, em termos absolutos, tende a ser muito pequeno", disse a doutora Katherine Stothard.

Já especialistas do Kings College de Londres concluíram que mulheres obesas estão mais propensas a sofrer com que eclampsia e partos prematuros.

Os pesquisadores afirmaram que o número de cesáreas é maior entre mães acima do peso. Com isso, o tempo de internação nos hospitais é maior, elevando as despesas do setor de saúde.

O estudo se concentrou em grávidas de primeira viagem e constatou que as obesas davam à luz, com mais frequência, bebês abaixo do peso.

"A grande proporção de bebês pequenos foi algo particularmente inesperado, levando em conta que a obesidade se relaciona com mais frequência ao nascimento de crianças acima do peso", disse a professora Lucilla Poston.

"Devemos começar a considerar a primeira gravidez como um problema adicional no caso das mulheres obesas, que já são mais propensas a ter uma gravidez com complicações", acrescentou. EFE fpb/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG