assombrado até Bush deixar a Casa Branca - Mundo - iG" /

Obama viverá em hotel assombrado até Bush deixar a Casa Branca

WASHINGTON - Barack Obama se mudará este fim de semana a Washington com sua família, mas só verá a Casa Branca pela janela de seu hotel, onde aparentemente terá que conviver com um fantasma do século 19.

EFE |

Obama chegará à capital antes de outros presidentes porque suas filhas, Sasha, de 10 anos, e Malia, de 7, começam na escola na segunda-feira, como todas as crianças de Washington.

Elas estudarão no Sidwell Friends , um colégio privado que custa em torno de US$ 30 mil por ano e onde em janeiro de 1993 também entrou pela primeira vez uma menina de 13 anos chamada Chelsea Clinton - filha de Bill e Hillary.

Lar temporário

O lar temporário da futura família presidencial será o Hay-Adams Hotel , um edifício de luxo de estilo renascentista onde os quartos chegam a custar US$ 6 mil por noite, em troca de banhos de mármore e lençois italianos.

A família Obama pediu à administração de George W. Bush que lhe deixasse ocupar a Casa Blair, uma residência oficial de convidados situada ao outro lado da rua da Casa Branca.

Mas lhe disseram que só a poderiam usar a partir de 15 de janeiro, pois até então ela está reservada para "recepções e reuniões" de despedida dos membros do atual governo.

Portanto os Obama ficarão no hotel até essa data, cinco dias antes da cerimônia de juramento, e terão que se contentar em olhar a Casa Branca pela janela de seu quarto.

O Hotel Hay-Adams se encontra a apenas um quarteirão de distância de sua futura morada, separado dela pelos carvalhos e pela estátua equestre do ex-presidente Andrew Jackson, que formam o Parque Lafayette.

"Fantasma" para assombrar Obama

O estabelecimento, construído em 1928, leva os nomes de John Hay, assistente privado do presidente Abraham Lincoln e secretário de estado, e de Henry Adams, um escritor e professor da Universidade de Harvard que era descendente dos presidentes John Adams e John Quincy Adams.


Fachada do hotel Hay-Adams em Washington / Divulgação

Ambos tinham casas no lugar onde depois se ergueu o Hay-Adams. Do lar de Henry Adams, o hotel herdou mais que o nome, segundo a lenda.

Sua mulher, Marian Hooper Adams, uma dama da alta sociedade que era conhecida como "Trevo" pelos íntimos, entrou em depressão e se suicidou em dezembro de 1885, ingerindo cianureto de potássio.

Seu fantasma continua na casa, segundo contam, no lugar de seu infortúnio, onde abre portas, sussurra com entonação gélida o nome dos empregados e os abraça com braços invisíveis.

Também já contaram terem-na ouvido perguntar, entre prantos, "Que deseja?". Para sorte dos Obama, as aparições costumam ocorrer no início de dezembro, em torno ao aniversário da morte da mulher.

A mudança para Washington colocará fim a seu relativo isolamento, pois montou seu gabinete em Chicago após ganhar as eleições no início de novembro e depois passou as férias do Natal em uma casa de aluguel de US$ 9 milhões em seu Havaí natal.

Pautas para o novo mandato

Na semana que vem recomeçam as sessões do Congresso, com audiências sobre o escândalo financeiro que tem Bernard Madoff como principal suspeito e sobre o programa de estímulo econômico da nova administração.

Obama também terá que pensar o que fará como presidente sobre a violência em Gaza, sobre a qual manteve silêncio até agora.

Na quarta-feira irá a Casa Branca, a convite de Bush, que oferecerá um almoço para ele e os ex-presidentes Bill Clinton e Jimmy Carter. De quebra, Obama poderá dar uma olhada ao redor e decidir se gosta das cortinas ou não.

Leia mais sobre Barack Obama

    Leia tudo sobre: barack obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG