WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, irá viajar a Moscou para uma conversa com líderes russos, além de participar do encontro do G8 na Itália e visitar Gana em um amplo tour internacional no mês de julho, informou a Casa Branca neste sábado. Obama irá ainda presidir um encontro sobre energia e mudanças climáticas onde estarão os líderes das maiores economias mundiais, enquanto participa do G8 na cidade italiana de LAquila, entre os dias 8 e 10 de julho.

Esta será a quarta grande viagem internacional de Obama desde que tomou posse em janeiro deste ano, comprometendo-se a reparar a imagem dos Estados Unidos no exterior, depois de oito anos do governo de George W. Bush.

Obama, que prometeu um "reinício" nas às vezes desgastadas relações com a Rússia, irá visitar Moscou entre 6 e 8 de julho, a convite do presidente russo Dmitry Medvedev.

"O encontro será uma oportunidade...para aumentar o compromisso de reduzir as armas nucleares, cooperando com a não-proliferação, explorando caminhos de cooperar na defesa de mísseis, tratando ameaças mútuas e desafios de segurança e expandindo os laços entre as sociedades e os negócios americanos e russos", afirmou a Casa Branca.

Washington e Moscou não chegaram a um consenso sobre os planos norte-americanos para um sistema de defesa anti-míssil no Leste Europeu, que a Rússia vê como uma ameaça à sua segurança, mas que oficiais norte-americanos insistem ser necessário para deter qualquer ameaça de míssil vinda do Irã.

Já o encontro do G8 na Itália deve ter seu foco nos esforços para deter a crise financeira global.

Obama, filho de um pai queniano e uma mãe norte-americana, irá fazer a sua primeira visita presidencial à África quando for a Gana, em 10 de julho.

A Casa Branca afirmou que Obama espera fortalecer os laços dos Estados Unidos com Gana.

(Reportagem de Matt Spetalnick)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.