Obama viajará à Europa e ao Oriente Médio nas próximas semanas

Washington, 28 jun (EFE) - O candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, viajará nas próximas semanas à Europa e ao Oriente Médio, anunciou hoje a equipe de sua campanha. Esta é a primeira viagem ao exterior do candidato desde que começou a temporada de eleições primárias, em janeiro. A viagem incluirá paradas no Reino Unido, na França e na Alemanha, assim como na Jordânia e em Israel.

EFE |

Obama afirmou que pretende visitar também Afeganistão e Iraque nos próximos meses, mas sua equipe de campanha não indicou se esses países farão parte da viagem nesta ocasião.

Por razões de segurança, não foram especificadas datas da viagem do candidato democrata.

Com esta viagem, o senador por Illinois tenta estabelecer contatos no exterior e ganhar experiência em política externa. Seu adversário republicano, John McCain, afirma que Obama, que está há apenas dois anos no Senado, é muito menos preparado que ele neste campo.

"Esta viagem será uma grande oportunidade para avaliar a situação em países que são básicos para a segurança nacional dos EUA, e para poder entrar em contato com alguns de nossos aliados mais próximos sobre os desafios comuns que enfrentamos", afirmou Obama em comunicado.

A visita, acrescentou, "será uma grande oportunidade para manter uma troca de pontos de vista com os líderes nesses países sobre estes e outros assuntos vitais para a segurança nacional dos EUA, e a segurança mundial, no século XXI".

"França, Alemanha e Reino Unido são pilares-chave da aliança transatlântica e contribuíram à missão no Afeganistão, e tenho muita vontade de abordar com eles como podemos fortalecer nossa aliança nos próximos anos", afirmou.

Por sua parte, "Israel é um amigo próximo e firme dos EUA e enfrenta graves ameaças de Gaza a Teerã", e Jordânia "foi um aliado próximo no processo de paz" para o Oriente Médio.

A etapa em Israel é considerada especialmente significativa, pois Obama tenta cortejar a comunidade judaica nos EUA, que, em alguns casos, se mostra preocupada com a disposição do candidato a falar com regimes inimigos.

McCain, que esteve no Iraque em oito ocasiões, criticou o candidato democrata por não ter viajado ao país árabe para conhecer a situação no terreno.

Obama, que apenas se deslocou ao Iraque em uma ocasião, em 2006, como parte de uma delegação do Congresso, defende uma retirada militar do país tão rápido quanto possível, enquanto o candidato republicano quer dar continuidade à estratégia atual.

McCain deve ir na próxima semana à Colômbia e ao México.

Obama, que junto com McCain comparecerá hoje perante a Associação de Funcionários Eleitos Latinos (Naleo) em Washington, visitou soldados feridos no hospital militar Walter Reed, nos arredores da capital americana. EFE mv/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG