Os países mais desenvolvidos e as principais potências emergentes do mundo deram importantes passos adiante no combate às mudanças climáticas, mas precisarão ir além do que se espera deles para fechar um acordo até o fim deste ano, avaliou hoje o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. Tivemos um bom começo, mas sou o primeiro a admitir que os avanços sobre esta questão não serão fáceis, declarou Obama.

"Não é uma tarefa pequena para 17 líderes superarem suas divergências numa questão como as mudanças climáticas", disse Obama.

O comentário foi feito depois de um encontro entre os líderes do G-8 (composto por Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Itália, Japão e Rússia) e do G-5 (formado por África do Sul, Brasil, China, Índia, México) ocorrido hoje em L'Áquila, região central da Itália. Obama observou que os principais países em desenvolvimento, que recusaram-se a assumir um compromisso específico de metas de longo prazo para reduzir a emissão de gases causadores do efeito estufa, têm preocupação "reais e compreensíveis".

Os países desenvolvidos estudam uma assistência financeira "significativa" para ajudar outras nações a se adaptarem às mudanças climáticas provocadas pelo aquecimento global e fomentar o desenvolvimento de novas tecnologias, prosseguiu Obama. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.