Obama vai rever a estratégia dos EUA no Afeganistão

O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, pretende aprovar os planos do Pentágono de enviar 30.000 soldados suplementares ao Afeganistão para ganhar tempo para rever a estratégia americana, destacou nesta terça-feira o Washington Post.

AFP |

Segundo o jornal, que citou membros da equipe do presidente eleito e do governo de George W. Bush, o objetivo não é instalar uma estratégia de reforço como no Iraque para mudar a situação no terreno, mas ganhar tempo para rever os objetivos americanos e estabelecer uma nova estratégia.

O chefe do estado-maior americano, o almirante Michael Mullen, anunciou em 20 de dezembro o envio de 20.000 a 30.000 soldados suplementares ao Afeganistão nos seis próximos meses. Os Estados Unidos mantêm atualmente 32.000 soldados no país.

A violência dos rebeldes afegãos aumentou muito nos dois últimos anos, apesar da presença no país de quase 70.000 soldados estrangeiros.

Obama, que tomará posse em 20 de janeiro, anunciou uma mudança de prioridade militar em detrimento do Iraque e em benefício do Afeganistão, um país que qualificou de "frente da guerra contra o terrorismo".

"Não temos plano estratégico. Nunca tivemos", declarou ao Washington Post um alto representante militar, referindo-se à ausência de estratégia do governo Bush para o Afeganistão.

Segundo o jornal, as grandes linhas da estratégia de Obama para o Afeganistão não devem ser conhecidas antes do início de abril, quando será realizada na França uma cúpula da Otan. Obama pretende apresentar aos europeus um plano completo, e pedir que reforcem suas contribuições militares e financeiras.

ch/yw/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG