Obama vai aliviar restrições contra Cuba

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, está disposto a aliviar as restrições sobre as viagens e remessas de dinheiro de cubano-americanos para Cuba, revelou nesta segunda-feira seu assessor especial para a Cúpula das Américas, Jeffrey Davidow.

AFP |

"Podemos esperar certo relaxamento e mudanças sobre as remessas e viagens familiares. Isto não inclui a suspensão do embargo", disse Davidow em entrevista coletiva no departamento de Estado.

Perguntado sobre se estas mudanças serão adotadas em breve, Davidow respondeu: "isto não me surpreenderia".

O Wall Street Journal revelou na sexta-feira passada que Obama suspenderá de fato todas as restrições sobre o envio de dinheiro e viagens a Cuba, citando um funcionário do governo que pediu para não ser identificado.

"O presidente já disse que quer autorizar os cubano-americanos a manter mais contato" com a Ilha. "Eles são os melhores embaixadores possíveis", explicou Davidow.

O anúncio sobre Cuba ocorrerá antes da viagem de Obama ao México e a Trinidad e Tobago, para a V Cúpula das Américas, prevista para os dias 17 e 18, segundo fontes concordantes.

Ao ser perguntado sobre o pedido de vários países da região para que Cuba participe das próximas cúpulas das Américas, Davidow rejeitou a ideia: "Não creio que Cuba deva estar nas próximas reuniões".

A série de Cúpulas das Américas começou em 1994, quando toda a região, exceto Cuba, já havia completado a transição para a democracia, lembrou Davidow.

"Apesar de todas a reportagens e especulações sobre as mudanças em Cuba, o fato é que a situação neste país em relação à liberdade de seus cidadãos não registrou muitas mudanças", declarou Davidow.

"Nossa relação com Cuba é complexa", admitiu Davidow, que não descartou que o tema seja debatido na Cúpula. "A estrutura da Cúpula oferece muitas oportunidades de discussão".

jz/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG