O candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, concentra sua campanha nesta segunda-feira no Estado da Flórida de olho nos eleitores que pretendem votar antes da data oficial da eleição, dia 4 de novembro. Mais de 30 Estados americanos, incluindo a Flórida, iniciaram nesta segunda-feira a votação antecipada.


Obama participou em Tampa de um comício com a antiga rival pela indicação democrata à Presidência, Hillary Clinton.

O candidato democrata vem investindo pesado na campanha no Estado, mobilizando voluntários que se movimentam pelas cidades gritando seu nome, enviando e-mails e fazendo propagandas em videogames populares.

"Há muita coisa em jogo nesta eleição para deixar tudo para o último minuto", disse Steve Schale, diretor da campanha de Obama na Flórida.

McCain

Por sua vez, o candidato republicano, John McCain, decidiu levar sua campanha nesta segunda-feira para o Estado do Missouri - onde, segundo pesquisas, ainda não há uma clara preferência dos eleitores nem por ele nem por Obama.

No sábado, em um evento na cidade de St. Louis, no mesmo Estado, Obama atraiu uma multidão estimada em 100 mil pessoas.

Devido à sua indefinição na campanha presidencial, o Missouri é um dos Estados considerados cruciais na campanha dos dois candidatos.

Entre os outros Estados também indefinidos estão a Flórida, a Carolina do Norte e Ohio.

De acordo com Rich Besson, diretor político para o Comitê Nacional Republicano, uma outra preocupação de McCain, além de conquistar uma vantagem nesses Estados, é atrair às urnas a fatia do eleitorado que não costuma votar.

Powell

Três pesquisas nacionais de preferência de voto divulgadas nesta segunda-feira mostram Obama na frente de McCain por uma diferença que varia de quatro a seis pontos percentuais.

Na pesquisa com a margem mais estreita, do instituto Rasmussen, Obama tem 50% das preferências e McCain, 46%. Na mais favorável para o democrata, do instituto Zogby e da agência de notícias Reuters, ele aparece na frente com 50% das preferências, contra 44% para o republicano.

A campanha de Obama foi fortalecida no domingo após ganhar o apoio de Colin Powell, ex-secretário de Estado do atual presidente americano, o republicano George W. Bush.

Powell disse que Obama seria o "presidente da transformação" e que sua vitória "não apenas eletrizaria o país, como também o mundo".

Em uma entrevista nesta segunda-feira ao programa Today Show, da rede de TV americana NBC, Obama disse que gostaria de ter Powell como conselheiro se for eleito.

"Se ele quer assumir um papel formal, se isso é bom para ele, é algo que nós teríamos que discutir", disse o candidato democrata.

"Não vou mentir, eu adoraria vê-lo comigo em qualquer parada (da campanha eleitoral). Obviamente, se ele quiser aparecer ele tem um convite aberto."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.