Obama toma medidas para reverter política de Bush sobre o clima

Por Jeff Mason WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, começou a reverter as políticas climáticas do governo Bush na segunda-feira, abrindo caminho para novas leis que forcem a indústria automobilística a produzir veículos mais econômicos e menos poluentes.

Reuters |

O presidente disse à Agência de Proteção Ambiental dos EUA para reconsiderar a solicitação da Califórnia, negada pelo presidente George W. Bush, que permitirá ao Estado impor limites mais rigorosos às emissões veiculares de dióxido de carbono, responsabilizadas por contribuir para o aquecimento global.

Pelo menos outros 18 Estados indicaram que poderão seguir o caminho da Califórnia, impondo padrões para emissões mais rigorosos que as exigências federais.

"O governo federal precisa trabalhar em conjunto, e não contra, os Estados a fim de reduzir as emissões de gás-estufa", disse Obama na Casa Branca, em um golpe à política de seu antecessor.

"A Califórnia mostrou liderança arrojada e bipartidária por meio de seu esforço para impor padrões do século XXI. E mais de doze Estados seguiram a sua liderança."

O presidente também instruiu o Departamento de Transporte para que estabeleça padrões de eficiência aos combustíveis veiculares para 2011 até março, dando à indústria automotiva um prazo de 18 meses.

Ele ainda instruiu o governo dos EUA em geral a se tornar mais eficiente em termos de energia.

"Os dias de relutância de Washington terminaram. A minha administração não vai negar os fatos. Seremos guiados por eles", afirmou ele.

Obama expôs amplos princípios que, segundo ele, serão seguidos por seu governo. É o momento, afirmou, de os EUA exercerem liderança na mudança climática e reduzirem sua dependência sobre o petróleo estrangeiro.

"Essa será a política do meu governo para reverter nossa dependência ao petróleo estrangeiro", disse Obama, acrescentando que governos anteriores estabeleceram objetivos similares.

"Precisamos mais do que as mesmas antigas promessas vazias. Precisamos mostrar que desta vez vai ser diferente", afirmou.

O Departamento de Estado dos EUA deve nomear Todd Stern, importante funcionário da Casa Branca no governo do presidente Bill Clinton, como enviado para mudança climática, disseram duas pessoas cientes da decisão na segunda-feira.

Stern coordenou a Iniciativa para Mudança Climática Global, da administração Clinton, de 1997 a 1999, e atuou como negociador da Casa Branca nas conversações sobre mudança climática em Kyoto.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG