Obama tenta apaziguar disputa racial com cerveja na Casa Branca

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, se encontrou nesta quinta-feira com o professor Henry Louis Gates e o policial Jim Crowley, para uma cerveja na Casa Branca na tentativa de apaziguar a disputa racial que dominou a mídia americana nos últimos dias. O presidente disse que teve uma conversa amigável com os dois.

BBC Brasil |

Eles foram acompanhados ainda pelo vice-presidente americano, Joe Biden.

Obama foi criticado depois de ter afirmado que a prisão de Gates, um professor negro da Universidade de Harvard, foi "estúpida".

Segundo o presidente, o encontro "informal" desta quinta-feira é uma chance para auto-reflexão.

"São três pessoas tomando uma cerveja no fim do dia e eu espero, dando a oportunidade para que um escute o que o outro tem a dizer", afirmou.

Prisão
Há duas semanas, o renomado professor foi preso ao tentar entrar na sua própria casa, na cidade americana de Cambridge, após passar uma semana viajando pela China.

Ao chegar à residência, Gates e seu motorista tiveram dificuldades ao abrir a porta. A polícia recebeu a denúncia de que dois negros estariam tentando arrombar uma casa.

Após pedir os documentos ao professor, Crowley o teria prendido. Segundo o policial, Gates o teria desrespeitado e o acusado de discriminação racial.

Ele foi preso por acusações de conduta imprópria.

Depois da detenção, Obama disse que "a polícia de Cambridge agiu de for a estúpida ao prender alguém quando havia prova de que ele estava em sua própria casa".

Mas críticos dizem que o presidente não deveria se envolver em casos individuais, especialmente quando não está de posse de todos os fatos.

Na última sexta-feira, o presidente lamentou ter feito os comentários e afirmou que chamaria os dois para uma cerveja.

Segundo a correspondente da BBC em Washington Jane O'Brien, a forte cobertura da mídia sobre o caso, classificando o encontro como a "cúpula da cerveja" acabou ofuscando os esforços de Obama de reativar as discussões sobre a aprovação das reformas no sistema de saúde do país.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG