Obama tem agenda cheia em visita a Israel e Cisjordânia

Jerusalém, 23 jul (EFE).- O candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, terá uma agenda repleta de reuniões com dirigentes israelenses e palestinos em sua visita de 36 horas a Israel e Cisjordânia.

EFE |

Em declaração à imprensa pouco depois de chegar ontem à noite ao aeroporto Ben Gurion, próximo a Tel Aviv, o candidato democrata condenou o ataque que deixou cerca de 20 feridos horas antes em uma rua do centro de Jerusalém e a poucos metros do hotel onde está hospedado.

"Este atentado serve como uma lembrança de que temos de trabalhar de forma eficaz, urgente e unida para derrotar o terrorismo", afirmou.

Obama se reuniu na manhã de hoje com o titular israelense da Defesa, Ehud Barak, e depois com o líder da oposição e ex-primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu.

O democrata deve se encontrar ainda com o presidente do Estado judeu, Shimon Peres, em sua residência oficial.

Na tarde de hoje (hora local), o senador por Illinois viajará à cidade cisjordaniana de Ramala, para se reunir com o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, e o primeiro-ministro palestino, Salam Fayyad.

Também na tarde de hoje, Obama deve se encontrar em Jerusalém com a ministra de Assuntos Exteriores de Israel, Tzipi Livni, com quem viajará de helicóptero à cidade israelense de Sderot, próxima à Faixa de Gaza e uma das mais castigadas pelos ataques com foguetes lançados por milícias palestinas.

À noite, o candidato democrata será o convidado de honra de um jantar com o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, e depois deve visitar o Muro das Lamentações em Jerusalém.

A visita de Obama despertou grande expectativa em Israel, e a imprensa local destaca o interesse surgido em contraposição com a viagem à região do candidato republicano, John McCain, há alguns meses. EFE db/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG