Obama suspende campanha para visitar avó doente

O candidato do Partido Democrata à Presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, vai suspender sua campanha temporariamente esta semana para visitar sua avó que está doente, no Havaí, segundo sua assessoria de campanha. O anúncio foi divulgado depois de Obama ter feito campanha no Estado da Flórida, onde participou de um comício junto com sua antiga rival nas primárias democratas, a senadora Hillary Clinton.

BBC Brasil |

A campanha de Obama afirmou que o candidato deve deixar campanha na quinta-feira para visitar sua avó materna de 85 anos, Madelyn Dunham.

Ele cancelou eventos em Des Moines, Iowa, e Madison, Wisconsin, para a visita. Segundo seu assessor, Jen Psaki, ele deve voltar à campanha no sábado, em um local ainda não decidido.

O estado de saúde da senhora Dunham, que ajudou a criar o neto, não está claro, mas o assessor da campanha Robert Gibbs afirmou que sua saúde se deteriorou nas últimas semanas.

"A avó do senador Obama sempre foi uma das pessoas mais importantes de sua vida", afirmou Gibbs em um comunicado.

"Junto com a mãe dele e seu avô, ela o criou no Havaí desde o momento em que ele nasceu até quando foi para a faculdade".

Encontro com Hillary
Obama passou a segunda-feira na Flórida, um dos chamados "Estados indecisos" e acusou seu rival, o republicano Jonh McCai, de fazer uma "campanha suja".

Mais uma vez, ele focou a campanha em economia e na classe média que foi atingida pela crise imobiliária e pelo desaquecimento econômico.

"Nós testamos o jeito de McCain. Nós testamos o jeito de Bush. Não funcionou. Está na hora de algo novo".

Obama também defendeu que sejam evitados os despejos dos donos de imóveis com dificuldades de pagar suas hipotecas.

No comício, Hillary Clinton pediu a uma platéia de 50 mil pessoas que "selem um acordo com Obama".

"Mandar os republicanos para resolverem a crise em Washington é a mesma coisa que mandar um boi para limpar o quarto de porcelanas", disse ela.

Esta foi a primeira vez que os dois aparecem juntos em público desde julho.

Dividir a riqueza
Já o rival de Obama, o republicano Jonh McCain, em campanha no Missouri, criticou as propostas econômicas do democrata e prometeu levar o país em uma nova direção.

"Depois de meses de discurso de campanha, nós finalmente descobrimos que Obama quer: espalhar a riqueza", disse McCain, que acusa o democrata de querer aumentar os impostos.

"Se eu for eleito não aumentarei impostos para pequenos negócios. O senador Obama vai aumentar e vai obrigá-los a cortar empregos".

McCain também afirmou que vai combater a crise imobiliária "comprando as hipotecas podres e financiando-as" para "realizar o sonho americano e manter as pessoas em suas casas".

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG