Obama se diz arrasado com morte de Ted Kennedy

Por Ross Colvin CHILMARK, EUA (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse estar de coração partido com a morte do senador Edward Kennedy, um dos pilares do Partido Democrata a quem ele exaltou como um dos responsáveis por programas sociais que melhoraram a vida dos norte-americanos.

Reuters |

"Suas ideias e ideais estão gravados em um grande número de leis e se refletem sobre milhões de vidas... em todos que podem perseguir seus sonhos em uma América que é mais igualitária e mais justa, incluindo em mim mesmo", disse Obama sobre o senador, que foi um aliado crucial em sua campanha para a presidência.

Kennedy, que lutava contra um câncer no cérebro há mais de um ano, morreu na madrugada de terça-feira em sua casa, em Hyannis, Massachusetts.

Em janeiro de 2008, Kennedy apoiou Obama, que estava no seu primeiro mandato de senador, como candidato Democrata para a campanha presidencial. Muitos viram no apoio a transmissão de seu bastão político para uma nova geração.

A doença do senador proporcionou tempo "para dizer obrigado e adeus", o que foi negado a seus irmãos assassinados, o presidente John F. Kennedy e Robert Kennedy, que foi senador e procurador-geral, disse Obama em pronunciamento na propriedade onde passa férias.

Obama foi acordado pouco depois das 2h (3h em Brasília) e informado da morte de Kennedy. Ele conversou com a mulher do senador, Victoria, cerca de 25 minutos depois. O presidente está de férias na ilha Martha's Vineyard, Massachusets, a cerca de 65 quilômetros de Hyannis.

"Michelle e eu ficamos com o coração partido ao saber, nesta madrugada, da morte de nosso querido amigo senador Ted Kennedy", afirmou Obama em um comunicado divulgado nas primeiras horas do dia.

A reforma do sistema de saúde é a principal bandeira doméstica de Obama, e Kennedy a considerava "a causa de minha vida". A morte do senador, um dos mais ativos legisladores na história dos EUA, deixa um vácuo para Obama e seus aliados na batalha pela aprovação do plano de cerca de 1 trilhão de dólares. Uma das últimas conversas entre Obama e Kennedy foi justamente sobre esse tema.

"O nome Kennedy é sinônimo do Partido Democrata, e às vezes Ted era o alvo de ataques partidários. Mas, no Senado dos Estados Unidos, não consigo pensar em ninguém que tenha alcançado maior respeito ou afeto dos membros dos dois lados", disse Obama.

(Reportagem de Ross Calvin)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG