Obama se defende de ter criticado classes populares americanas

Barack Obama, um dos dois candidatos democratas à eleição presidencial americana, foi obrigado neste sábado a se defender dos ataques de seus adversários depois de ter criticado a amargura das classes populares, que está tentando seduzir.

AFP |

"Muitas pessoas nas pequenas cidades de Pensilvânia e Indiana são amargos", declarou Obama neste sábado durante um comício.

"Eles estão furiosos, têm a impressão de terem sido abandonados", acrescentou o senador de Illinois, que está tentando seduzir um eleitorado popular mais propenso a votar em sua rival democrata, Hillary Clinton.

A polêmica foi deflagrada por uma declaração pronunciada por Obama na semana passada e publicada no site huffingtonpost.com, segundo a qual as classes populares estão desesperadas por não poder contar com nenhuma ajuda econômica de Washington e tendem a se aferrar "às armas, à religião, a um sentimento antiimigração ou anticomércio para expressar sua frustração".

Hillary Clinton, que disputa com Obama a indicação do Partido Democrata para a eleição presidencial de novembro, não demorou para contra-atacar.

"Fiquei surpresa com os comentários humilhantes do senador Obama sobre os moradores das pequenas cidades americanas", declarou Hillary neste sábado durante um comício no estado de Indiana, onde uma primária democrata está marcada para o dia 6 de maio.

"As declarações do senador Obama são elitistas e distantes da realidade. Elas não refletem os valores e as convicções dos americanos, muito menos dos americanos que eu conheço", disparou.

"Isso mostra um elitismo e uma condescendência espantosos com os americanos que trabalham duro", havia declarado ao New York Times um conselheiro do candidato republicano John McCain.

As classes populares representam uma parte importante do eleitorado da Pensilvânia (leste dos EUA), onde a primária democrata está prevista para o dia 22 de abril.

Hillary Clinton ainda lidera as pesquisas de opinião, mas sua vantagem em relação a Obama diminuiu nas últimas semanas, ficando em menos de 10%.

Para responder a esta salva de ataques, David Axelroad, responsável pela estratégia da campanha de Obama, organizou uma entrevista coletiva por telefone.

"Penso que Obama disse muito claramente que lamenta a forma como formulou sua declaração, mas continua convencido da justeza do fundo", disse Axelroad.

"No fundo, esses comentários são verdadeiros. Se os senadores Clinton e McCain pensam que as pessoas estão entusiastas com a economia, eles deveriam passar muito mais tempo" no terreno, acrescentou.

mac/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG