Obama revelará ainda hoje quem será o vice em sua chapa

María Luisa Azpiazu Washington, 22 ago (EFE).- O candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama, dirá ainda hoje aos seus partidários quem será seu companheiro na aventura presidencial através de uma newsletter, mas o atraso da notícia fez crescer as apostas e abalou os nervos em Washington.

EFE |

Às 16h (17h em Brasília), a imprensa americana estava cansada de repetir que "o anúncio é iminente", mas a decisão continuava a ser uma incógnita.

Os milhões de partidários de Obama em todo o país que se inscreveram na newsletter democrata passaram o dia grudados aos seus celulares esperando o candidato democrata cumprir sua promessa de "informar primeiro a seus partidários" através de mensagens de texto. No entanto, o alerta demora a chegar.

O anúncio do nome do candidato a vice-presidente democrata porá fim a um dos segredos mais bem guardados de Washington nos últimos tempos.

O clima secreto que cercou o processo podia ser representado pela frase "os que falam não sabem, e os que sabem não falam", já que o minúsculo grupo que ajudou Obama a avaliar os pró e os contra de seu futuro companheiro mantiveram um silêncio louvável durante semanas.

O procedimento de Obama para revelar o "eleito" através de mensagens de texto em celulares demonstra que o senador por Illinois está "conectado" com o século XXI.

No entanto, a ação não escapou de uma certa desconfiança por parte dos receptores das mensagens, já que na quinta-feira foram enviados falsos comunicados nomeando para o posto, por exemplo, o governador da Virgínia, Tim Kaine.

O que já é evidente, porque o próprio candidato já havia dito no começo da manhã em declarações à "CBS", é que são necessárias várias horas para a decisão, que se baseia em três princípios básicos: estar preparado para ser presidente, ser capaz de ajudá-lo a governar e ter idéias próprias.

"Quero alguém capaz de desafiar minhas idéias e não simplesmente alguém que diga sim a tudo", assegurou hoje Obama, sem revelar o nome do escolhido.

O candidato democrata, no entanto, ressaltou as características da pessoa com a qual quer dividir as tarefas da Presidência.

A "pequena lista" avaliada por Obama nesta última etapa de seu processo de seleção, mas que não é oficialmente confirmada, inclui o governador da Virgínia, Tim Kaine, a governadora do Kansas, Kathleen Sebelius, os senadores de Delaware Joseph Biden e de Indiana Evan Bayh, e o congressista pelo Texas Chet Edwards.

Os "rejeitados" souberam na quinta-feira que tinham "saído" da lista de prováveis companheiros de chapa, já que o próprio Obama ligou para eles para comunicá-los da decisão. No entanto, também não se sabe quem recebeu a ligação.

No entanto, parece claro que restam muito poucas horas para que seja revelado o candidato.

Isso porque "o eleito" e Obama têm programada a realização, amanhã, de sua primeira aparição pública como "par eleitoral" em Springfield, Illinois, o estado pelo qual Obama é senador, e o lugar no qual, em 10 de fevereiro de 2007, lançou sua campanha à Presidência.

Springfield, no coração de Illinois, é a terra adotiva do XVI Presidente dos EUA, Abraham Lincoln, um dos líderes mais emblemáticos deste país, sob cujo Governo, mediante a aprovação da 13ª emenda da Constituição, foi abolida a escravidão.

Imediatamente depois da "apresentação para a sociedade" do vice-presidente, os companheiros de chapa iniciarão uma viagem "pré-convenção". EFE mla/bm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG