Obama rejeita indicação de Blagojevich para sua vaga no Senado

O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou nesta terça-feira que os senadores democratas devem rejeitar o nome indicado pelo governador do Estado de Illinois, Rod Blagojevich, para substituí-lo no Senado americano.

BBC Brasil |

Acusado, entre outros crimes, de tentar "vender" a vaga no Senado de Obama, Blagojevich indicou nesta terça-feira o ex-procurador geral do Estado, Roland Burris, para o assento que ficará vago na casa legislativa depois que Obama tomar posse como presidente.

O anúncio, feito em uma entrevista coletiva nesta terça-feira, causou polêmica e os líderes do Partido Democrata na casa já afirmaram que irão recusar qualquer nomeação por parte do governador.

Obama concordou que os senadores "não podem aceitar a indicação" e acrescentou que o próprio governador deveria pedir renúncia.

"Roland Burris é um bom homem e um bom servidor público, mas os democratas do Senado deixaram claro, semanas atrás, que não podem aceitar uma indicação feita por um governador acusado de tentar vender este mesmo assento no Senado. Eu concordo com esta decisão", declarou Obama.

Homem honesto

Burris foi procurador geral do Estado de Illinois entre 1991 e 1995 e disputou, sem sucesso, as eleições para o Senado em 1984 e para o governo do Estado em 1994.

Em uma entrevista coletiva nesta terça-feira junto com o próprio Burris, Blagojevich pediu que "as acusações contra ele não prejudiquem este homem bom e honesto".

Mas o líder dos democratas no Senado, Harry Reid, não se impressionou com os apelos.

"É realmente lamentável que o governador Blagojevich tome esta decisão imprudente de indicar alguém para o Senado dos Estados Unidos que serviria sob uma sombra e seria atormentado com questionamentos sobre impropriedades", disse.

"Qualquer pessoa indicada por Blagojevich não pode representar efetivamente o povo de Illinois e não será aceita pelas democratas", acrescentou.

Sem envolvimento

Na semana passada, foram divulgados os resultados de uma investigação interna da equipe de Obama que apontam que nem o presidente eleito nem ninguém de sua equipe tiveram envolvimento com o escândalo de corrupção.

Blagojevich, que já afirmou que "lutaria contra as falsas acusações", descartou qualquer possibilidade de pedir renúncia.

O legislativo do Illinois, no entanto, formou uma comissão para examinar a possibilidade de destituir o governador do cargo.

Vários políticos, inclusive Obama, pediram a Blagojevich que renuncie.

Pela lei do Estado de Illinois, o governador é responsável pela escolha de um substituto caso um assento do Estado no Senado fique vago.

Leia mais sobre Obama

    Leia tudo sobre: obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG