Obama rejeita acusações de McCain sobre Bill Ayers e fraude eleitoral

O candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama, rebateu nesta quarta-feira as acusações de seu adversário republicano, John McCain, de que teria ligações com um radical da década de 60 e com um grupo de ativistas investigado por fraude eleitoral.

AFP |

"Não me interessa um velho terrorista acabado, mas (...) precisamos saber a verdadeira relação que manteve com você", disse McCain a Obama sobre Bill Ayers, durante o último debate dos candidatos à eleição presidencial de 4 de novembro nos Estados Unidos.

Obama respondeu: "Vamos deixar as coisas claras. Bill Ayers é um professor em Chicago. Há quarenta anos, quando eu tinha oito (anos), realizou atos com um grupo radical e eu condeno estes atos".

"Ayers não está envolvido em minha campanha, nunca esteve envolvido em minha campanha e não vai estar na Casa Branca", afirmou o senador por Illinois.

McCain também perguntou à Obama qual é sua relação com a Associação de Organizações Comunitárias para a Reforma (Acorn, sigla em inglês), investigada por fraude no registro eleitoral.

Obama afirmou que a Acorn é uma "organização comunitária", e que não tem "nada a ver conosco".

A Acorn, uma associação que inscreveu 1,3 milhão de americanos para votar nas próximas eleições, é denunciada por irregularidades em uma dúzia de Estados e no condado da Flórida, onde as autoridades abriram uma investigação sobre 30 registros duvidosos.

No Estado de Nevada, vários escritórios da Acorn foram vistoriados após denúncias sobre 300 registros eleitorais ilegais.

A Associação, que reúne vários grupos de ativistas de direitos civis, afirma que os registros duvidosos foram denunciados pela própria organização.

jkb/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG