diplomacia direta , incondicional com os inimigos - Mundo - iG" /

Obama reitera recurso à diplomacia direta , incondicional com os inimigos

O presidente americano, Barack Obama, está disposto a manter relações diplomáticas diretas, sem condições, com os inimigos de seu país, seguindo os princípios de política exterior expostos durante sua campanha, e que agora aparecem no novo site da Casa Branca.

AFP |

"Obama e (o vice-presidente Joseph) Biden estabelecerão uma diplomacia direta, dura, sem condições, com todas as nações, amigas ou inimigas. Todos preparativos necessários serão tomados, mas isso mostrará que os Estados Unidos estão dispostos a negociar e a liderar", afirma o texto do site, atualizado nesta quinta-feira.

"Se os Estados Unidos estiverem dispostos a negociar, o mundo aceitará com mais vontade o alinhamento com a liderança dos Estados Unidos para enfrentar desafios como o combate ao terrorismo e os programas nucleares do Irã e da Coréia do Norte", acrescenta.

O "diálogo sem condições" foi uma das promessas de campanha de Obama, fortemente criticada por seu rival, John McCain.

O objetivo de conseguir um Estado palestino que viva "em paz e segurança" junto a Israel é outro dos objetivos principais "desde o primeiro dia", explica a Casa Branca em sua página oficial.

Além disso, Obama e Biden "apóiam fortemente a relação entre Estados Unidos e Israel, considerando que nosso primeiro e inquestionável compromisso no Oriente Médio deve ser a segurança de Israel, principal aliado dos Estados Unidos na região".

"Estados Unidos nunca se distanciará de Israel", e seu presidente e o vice "acreditam no direito de Israel de proteger seus cidadãos", assegura a declaração de princípios.

Essa declaração de princípios é a primeira oficial feita pelo presidente Obama desde que assumiu o poder, na última terça-feira.

Nesta quinta - seu terceiro dia na Casa Branca -, Obama decretou que o fechamento completo da prisão de Guantánamo deve acontecer em um ano, além da proibição de utilizar os abusos nos interrogatórios e o compromisso renovado de respeitar as Convenções de Genebra.

Sua secretária de Estado, Hillary Clinton, tomou posse do cargo nesta quinta-feira, saudando o início de "uma nova era" para os EUA.

jz/ap/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG