O presidente Barack Obama reafirmou nesta quinta-feira a determinação de fechar Guantánamo e consertar o desastre deixado por George W. Bush, mantendo ao mesmo tempo a possibilidade de deixar na prisão por tempo indeterminado os prisioneiros que seguem em guerra com os Estados Unidos.

Ao mesmo tempo, Obama afirmou que não aceita os pedidos para uma investigação independente dos métodos anti-terroristas implementados durante o governo Bush.

col/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.