recíproco na Cúpula das Américas - Mundo - iG" /

Obama quer respeito recíproco na Cúpula das Américas

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, deseja manter com todos os líderes presentes na quinta Cúpula das Américas, em Trinidad e Tobago, um tratamento baseado na dignidade e no respeito, declarou nesta segunda-feira seu conselheiro Jeffrey Davidow.

AFP |

"O presidente pretende tratar todos os presentes com a dignidade e o respeito que merecem, e espera um tratamento semelhante", disse Davidow à imprensa.

Obama se prepara para efetuar sua primeira viagem à América Latina como presidente. Ele fará uma escala no México, em 16 de abril, antes de seguir para a Cúpula das Américas, em Port of Spain, a capital da pequena ilha do Caribe.

Davidow descartou uma possível retomada das relações diplomáticas plenas com Venezuela e Bolívia, e lamentou a decisão tomada pelos presidentes venezuelano, Hugo Chávez, e boliviano, Evo Morales, de expulsar os embaixadores americanos de Caracas e La Paz.

"É lamentável que os governos da Venezuela e da Bolívia tenham tomado a decisão unilateral de expulsar nossos embaixadores", declarou. "Acho que precisamos de mais comunicação" com estes países, acrescentou.

A Bolívia e a Venezuela tomaram em setembro passado a decisão de expulsar os embaixadores americanos. O governo boliviano acusou o diplomata americano em La Paz de tentativas de desestabilização e o expulsou do país, assim como agentes do DEA, a Agência antidrogas americana. Caracas imitou La Paz em sinal de solidariedade.

Como medida de retaliação, Washington expulsou os embaixadores boliviano e venezuelano.

Obama e Chávez devem se encontrar em Port of Spain, mas nenhuma reunião bilateral está prevista, destacou Davidow.

"Haverá muitas oportunidades de discussões, provavelmente discussões de grupo", afirmou.

Para os Estados Unidos, os principais temas a serem tratados durante a cúpula são a crise econômica, o combate à pobreza, a coooperação energética e ambiental e a segurança na região, resumiu o conselheiro americano.

O documento final, cujo rascunho já foi aprovado, é o resultado de "um consenso" e "representa a visão de toda a região", ressaltou Davidow.

"O presidente Obama vai a Trinidad com um plano, mas também para ouvir", concluiu.

jz/yw/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG