Obama quer cúpula para discutir redução de armas nucleares

O presidente americano, Barack Obama, quer promover uma cúpula mundial para discutir formas de conter a disseminação de armas nucleares no mundo. A proposta foi apresentada por Obama durante um discurso do presidente americano sobre armas nucleares neste domingo em Praga, na República Checa.

BBC Brasil |

Obama está negociando um novo tratado para pôr fim à produção de matéria-prima para armas nucleares.

O presidente americano disse que o lançamento de um foguete "provocador" da Coreia do Norte neste domingo ressalta a necessidade de se agir contra armas nucleares.

Irã
Obama disse que apesar de sua meta provavelmente não ser atingida até o fim da sua vida, ele vai perseguir esse objetivo.

Obama disse que enquanto o Irã continuar sendo visto como uma possível ameaça nuclear, os Estados Unidos seguirão trabalhando no polêmico escudo de defesa antimísseis, que seria instalado em partes da Polônia e da República Checa.

O discurso foi feito por Obama para um público de 20 mil pessoas na véspera de um encontro com líderes da União Europeia em Praga. Ele disse que os americanos têm responsabilidade moral para agir contra as armas nucleares.

"A existência de milhares de armas nucleares é o legado mais perigoso da Guerra Fria", disse. "Hoje a Guerra Fria desapareceu, mas milhares de armas não."
Ele prometeu reduzir o estoque nuclear americano e pediu que outros países sigam o exemplo. Mas enquanto houver ameaça, os Estados Unidos manterão sua capacidade nuclear.

Ele disse que seu governo trabalhará para fazer com que o Tratado para a Proibição Completa dos Testes Nucleares seja cumprido.

O acordo bane todas as explosões nucleares, mas não foi ratificado pelos Estados Unidos e pela China, e não foi assinado por Paquistão e Índia.

Terrorismo
A maior ameaça à segurança global, segundo Obama, é a possibilidade de armas nucleares caírem nas mãos de grupos terroristas.

"Um terrorista com arma nuclear poderia provocar destruição em massa", disse. "A al-Qaeda disse que quer uma bomba. E que não teria problema em usá-lo. E nós sabemos que existe material nuclear inseguro pelo planeta."
Obama anunciou um novo esforço para eliminar em quatro anos o mercado negro de materiais nucleares.

Ele também disse que pretende negociar até o fim do ano um tratado com a Rússia para redução dos estoques nucleares. Obama e o presidente Dmitry Medvedev concordaram, durante a cúpula do G20 em Londres na última semana, reabrir as negociações.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG