Obama promete reformular leis para garantir segurança alimentar nos EUA

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse que o sistema de segurança de alimentos do país traz riscos à saúde e anunciou a criação de um grupo de trabalho com o objetivo de atualizar leis relativas ao setor. Obama disse que os casos de contaminação de alimentos mais do que triplicaram desde o início da década de 90, passando de cem para quase 350 por ano.

BBC Brasil |

"Parte da razão é que várias das leis e regulamentos que regem a segurança alimentar nos Estados Unidos não foram atualizadas desde que foram formuladas na época de Teddy Roosevelt (Theodore Roosevelt, presidente de 1901 a 1909)", disse Obama em seu programa de rádio e TV veiculado regularmente aos sábados.

O presidente americano citou uma série de escândalos recentes como a contaminação com salmonella de produtos à base de amendoim este ano, que pode ter causado nove mortes. O caso deixou mais de 600 pessoas doentes e levou a um dos mais amplos recalls de produtos na história americana. Obama disse que quando ouviu falar do recall, logo pensou em sua filha Sasha, de 7 anos, que come sanduíches de manteiga de amendoim várias vezes por semana.

"Nenhum pai deveria ter que se preocupar se o filho vai ficar doente por causa do lanche", afirmou.

O presidente indicou ainda Margaret Hamburg para dirigir a agência de vigilância sanitária do país (Food and Drug Administration, FDA). Obama disse que a recente falta de recursos e pessoal na FDA permitiu à agência realizar apenas uma fração das inspeções anuais nas instalações de 150 mil locais de processamento de alimentos dos Estados Unidos.

Hamburg, uma perita em terrorismo biológico, foi secretária adjunta para a Saúde no governo do presidente Bill Clinton. Seu nome ainda deve ser aprovado pelo Senado.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG