O presidente americano recém-eleito, Barack Obama, prometeu nesta segunda-feira, Dia Mundial da Aids, manter os esforços dos Estados Unidos contra a doença, por meio de uma estratégia nacional de educação, prevenção e tratamento, assim como um sistema de saúde pública forte.

Obama celebrou os avanços obtidos desde que as autoridades internacionais da área de Saúde instituíram a data, quando "a ignorância generalizada e o medo dificultavam os esforços" para educar as pessoas sobre o devastador impacto da Aids em famílias e comunidades.

Graças ao trabalho de organizações governamentais, não-governamentais e religiosas, "as mulheres que ficaram viúvas, no Quênia, por causa da doença, e que se viam rejeitadas pela sociedade, no passado, reuniram-se para apoiar e dar força uma à outra", disse Obama.

"Cientistas de todo o mundo estão descobrindo e trabalhando em novos medicamentos para dar às pessoas com HIV outra chance de vida", acrescentou.

"Parabenizo o presidente Bush por sua capacidade de impor um plano para o tratamento da Aids na África, sustentado por fundos destinados a salvar vidas e a impedir a doença de se propagar", declarou Obama, na mensagem enviada ao foro sobre a saúde mundial organizado hoje, em Washington, pelo pastor americano Rick Warren.

Nesta segunda, o presidente George W. Bush anunciou que seu plano de emergência para a assistência às vítimas da Aids (PEPFAR) já alcançou seu objetivo de ajudar a tratar dois milhões de pessoas com HIV, até o final de 2008.

"Minha administração dará prosseguimento a esse trabalho crucial para o tratamento da doença no mundo", frisou, ressaltando que "precisamos reafirmar nosso compromisso de combater a crise da Aids aqui, nos Estados Unidos, com uma estratégia nacional forte para a educação, a prevenção e o tratamento, focalizando-nos nesses grupos de alto risco".

"Esta estratégia deve ser baseada nos últimos dados científicos disponíveis e em um sistema de saúde forte", defendeu Obama.

Pelo menos dois terços dos casos positivos para HIV no mundo são na África Subsaariana, e uma pessoa a cada dez tem o vírus HIV em nações como África do Sul, Zimbábue, Botsuana, Lesoto, Malauí, Moçambique, Namíbia, Suazilândia e Zâmbia, de acordo com relatório divulgado em junho pela Federação Internacional de Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (IFRC).

fgf/sd/tt/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.