Obama promete maior investimento em infra-estrutura em 60 anos

O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, prometeu neste sábado realizar investimentos em infra-estrutura em uma escala não vista no país em cerca de 60 anos, como forma de ajudar a reerguer a economia americana. Nós vamos criar milhões de empregos fazendo o maior novo investimento em nossa infra-estrutura nacional desde a criação do sistema nacional de rodovias, nos anos 50, disse Obama em um pronunciamento divulgado no site de seu gabinete de transição.

BBC Brasil |

"Nós vamos investir nossos preciosos dólares de maneiras inovadoras e mais inteligentes e seguiremos uma regra simples - use-os ou perca-os. Se um Estado não agir rapidamente e investir em estradas e pontes em suas comunidades, ele perderá o dinheiro."
Segundo Obama, o investimento em infra-estrutura faz parte de um plano de recuperação econômica no qual sua equipe vem trabalhando.

Modernização
No pronunciamento deste sábado, Obama também revelou seu plano de investir na modernização de prédios públicos, para que passem a poupar mais energia. A idéia seria substituir sistemas antigos de aquecimento e instalar novas lâmpadas, mas econômicas.

"Nosso governo paga hoje a mais alta conta de luz do mundo - precisamos mudar isso", disse o presidente eleito.

As escolas também seriam beneficiadas pelo investimento do governo, para que se modernizem e sejam mais econômicas. Dinheiro seria investido em mais reparos e em novos computadores para os estudantes.

Outro destino do dinheiro seria na ampliação do acesso à internet de banda larga.

"No país que inventou a internet, cada criança deve ter a chance de navegar online e é assim que nós iremos fortalecer a competitividade dos Estados Unidos no mundo", explicou.

Desemprego
Com os investimentos previstos no seu plano de recuperação econômica, Barack Obama espera ser capaz de impedir o fechamento ou criar 2,5 milhões de postos de trabalho até 2011.

Refletindo a crise econômica, o desemprego vem crescendo nos Estados Unidos e, segundo dados oficiais, 533 mil vagas foram fechadas em novembro.

Esse foi o maior corte de postos de trabalho mensal no país desde 1974 e impulsionou a taxa de desemprego para 6,7% da população economicamente ativa, a maior em 15 anos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG