Obama promete liberar viagens a Cuba, mas anuncia manutenção de embargo

Miami, 23 mai (EFE).- O pré-candidato democrata Barack Obama afirmou hoje que, caso vença as eleições presidenciais dos Estados Unidos, em novembro, permitirá viagens familiares e o envio de remessas a Cuba, embora vá manter o embargo econômico à ilha.

Redação com EFE |


"Não há melhores embaixadores para a liberdade do que os cubanos e os cubano-americanos. Por isso, permitirei as viagens familiares e o envio de remessas, para que possam ajudar pais, irmãos e tios; para que o dinheiro americano faça com que o povo cubano seja menos dependente do regime da ilha", disse.

Em discurso pronunciado em um ato organizado pela influente Fundação Nacional Cubano-Americana (FNCA), o senador por Illinois também destacou que manterá o embargo econômico sobre a nação caribenha.

A política anunciada por Obama difere um pouco da adotada pelo atual presidente americano, George W. Bush, que, em 2004, pôs em vigor várias normas que permitem a cubano-americanos e americanos visitar parentes diretos na ilha uma vez a cada três anos, mas proíbem contatos com familiares como tios ou primos.

No ato desta sexta-feira, o senador afro-americano prometeu, diante de mais de 700 pessoas, que um dos primeiros passos que dará em relação a Cuba, caso seja eleito, estará dirigido à libertação dos presos políticos.

Para Obama, já é hora de superar as "promessas vazias dos políticos" e ter uma nova estratégia para conseguir a liberdade da ilha caribenha e a instauração da democracia.

"Minha política para Cuba será dirigida por uma só palavra: liberdade", afirmou. EFE sob/sc

    Leia tudo sobre: obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG