Obama promete gerar mais de três milhões de empregos

O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou neste sábado que seu plano de estímulo econômico deverá gerar entre 3 e 4 milhões de postos de trabalho, no momento em que o país enfrenta a ameaça de recessão.

AFP |

"A recuperação não ocorrerá da noite para o dia e é provável que as coisas piorem antes de melhorar", disse Obama, em seu programa semanal de rádio. "Mas tenho confiança em que, se nos unirmos, superaremos os desafios de nosso tempo e escreveremos um novo grande capítulo de nossa história".

Obama destacou que um relatório preparado por uma equipe de economistas que trabalha para ele mostrou que seu plano de recuperação ajudará a criar ou conservar entre 3 e 4 milhões de empregos, 90% dos quais no setor privado.

Segundo Obama, que tomará posse no dia 20 de janeiro, cerca de meio milhão de empregos serão criados graças aos investimentos no setor de energias alternativas, nos próximos três anos.

Obama aposta ainda em criar milhares de empregos na área da Educação, com a construção e reforma de salas de aula, laboratórios e instalações de informática.

A modernização e melhoria do sistema de saúde também vai gerar milhares de novos postos de trabalho, explicou Obama na véspera, ao defender a informatização de todos os prontuários médicos, o que permitirá "economizar dinheiro" e "salvar vidas, minimizando os erros médicos".

"Se nada for feito, esta recessão pode durar anos", destacou, pedindo ao Congresso e aos cidadãos que apóiem seu plano de retomada, de quase 800 bilhões de dólares.

"Minha equipe e eu estamos envolvidos em um diálogo construtivo com os membros do Congresso (...) e já obtivemos grandes progressos com estas consultas", destacou Obama na sexta-feira.

O ano de 2008 foi o pior para o mercado de trabalho nos Estados Unidos desde 1945, e os meses de novembro e dezembro foram particularmente ruins, com a perda de 584 mil e 524 mil postos de trabalho, respectivamente.

Durante todo o ano, 2,6 milhões de postos de trabalho foram fechados nos EUA, sendo que 1,9 milhão apenas nos últimos quatro meses.

No acumulado de 2008, o setor de serviços, que emprega quase 85% da mão-de-obra americana não-agrícola, perdeu 1,2 milhão de postos. Na indústria, foi 1,4 milhão de empregos. Particularmente atingido, o setor de automóveis viu seu número de vagas despencar em mais de 17% desde o início oficial da recessão, em dezembro de 2007.

A perda de emprego em dezembro se espalhou por praticamente todos os setores da atividade econômica, salvo na educação, na saúde e na administração pública, onde foram criadas 717.000 vagas em 2008.

mj/tt/lm/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG