Obama prevê confirmação de Geithner

Por Jeff Mason e Jeremy Pelofsky WASHINGTON (Reuters) - O presidente eleito dos EUA, Barack Obama, previu na quarta-feira que seu indicado Timothy Geithner será confirmado pelo Senado como secretário do Tesouro, apesar da polêmica por causa de irregularidades tributárias e da contratação de uma empregada em situação migratória irregular.

Reuters |

"Minha expectativa é que Tim Geithner será confirmado, e minha expectativa é que ele fará um trabalho extraordinário", disse Obama a jornalistas. "Foi um erro inocente (...) Foi corrigido. Ele pagou as penalidades."

Geithner pendurou-se ao telefone para tentar convencer os senadores a confirmá-lo de modo a que possa começar rapidamente a enfrentar a grave situação financeira dos EUA.

Mas o presidente da Comissão de Finanças do Senado, Max Baucus, teve de adiar a audiência de confirmação de sexta para a quarta-feira, já depois da posse do novo presidente, a pedido de alguns senadores por mais tempo para refletir.

Porém, vários integrantes da comissão manifestaram apoio a Geithner, que como presidente do Federal Reserve (Banco Central) de Nova York teve papel importante nas primeiras reações à crise no sistema financeiro.

"Ele claramente será confirmado, claramente. Isso é um fato", disse Baucus a jornalistas.

Em meio a novas notícias ruins para a economia -- as Bolsas voltaram a cair devido a preocupações com os balanços dos bancos --, alguns senadores republicanos dizem que ainda não se decidiram a aprovar Geithner, cuja indicação, em novembro, foi calorosamente recebida pelos mercados. Mas outros dizem que as irregularidades tributárias não são dignas de impedir sua confirmação.

"Não acho que eu veja o suficiente aí para causar um problema", disse a jornalistas o republicano John Ensing, membro da Comissão de Finanças, após uma longa conversa telefônica com Geithner. "Acho que os erros que ele cometeu foram erros bastante honestos."

(Reportagem adicional de Mark Felsenthal, Jeff Mason, Thomas Ferraro, Richard Cowan e Caren Bohan)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG