Obama pretende se encontrar com o Dalai Lama, diz porta-voz

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pretende se encontrar com o líder tibetano Dalai Lama, anunciou nesta terça-feira um porta-voz da Casa Branca.

iG São Paulo |


"Durante a viagem que fez a Pequim no ano passado, o presidente disse aos dirigentes chineses que se encontraria com o Dalai Lama, e é o que pretende fazer", disse o porta-voz, Bill Burton, durante uma visita de Obama a Nashua, no estado de New Hampshire (nordeste dos EUA).

Nesta terça-feira, a China alertou que um possível encontro do presidente de Obama com oDalai Lama vai abalar ainda mais as relações sino-americanas, e prometeu levar adiante as sanções contra empresas dos EUA que vendam armas a Taiwan.

O regime chinês está cada vez mais assertivo na sua oposição aos encontros do Dalai Lama com dignitários estrangeiros, e o tema pode se somar a vários outros entraves nas relações entre as duas grandes potências mundiais da atualidade. Pequim e Washington já têm atritos por causa de assuntos como política cambial, comércio, controles da internet e Taiwan.

A China considera o Dalai Lama como um perigoso separatista, e o dirigente comunista Zhu Weiqun disse que o regime vai se opor veementemente ao eventual encontro.

"Se isso vier a ocorrer, então a China terá forte oposição, como sempre", disse Zhu, cujo Departamento de Trabalho da Frente Única dirige a política do Partido Comunista chinês a respeito de questões religiosas e étnicas.

Segundo ele, o eventual encontro "seria totalmente contrário às práticas internacionais aceitas e abalaria seriamente a base política das relações sino-americanas". "Se o líder dos EUA escolhe este momento para encontrar o Dalai Lama, isso danificaria a confiança e a cooperação entre os nossos dois países, e como isso ajudaria os EUA a superar a atual crise econômica?"

A China elevou o tom das suas críticas ao Dalai Lama desde a repressão violenta do regime a uma série de manifestações de tibetanos em março de 2008. Presidentes anteriores a Obama encontraram-se com o Dalai Lama.

O líder budista diz que busca a autonomia para o Tibete, de onde fugiu em 1959, mas nega ser separatista. A China recentemente manteve negociações com enviados do Dalai Lama, mas com poucos resultados práticos.

Com AFP e Reuters

Leia mais sobre Dalai Lama

    Leia tudo sobre: dalai lamaeuaobama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG