Obama pode anular algumas ordens executivas de Bush, diz assessor

Washington, 9 nov (EFE) - O presidente eleito, Barack Obama, está revisando algumas das ordens executivas emitidas pelo atual líder George W. Bush que poderiam ser anuladas quando chegar ao Governo, segundo informou hoje um de seus assessores.

EFE |

O responsável da equipe de transição democrata, John Podesta, disse ao canal de televisão "FOX" que, apesar de Obama só assumir o cargo em 20 de janeiro, já está revisando alguns decretos assinados por Bush em temas como pesquisa com células-tronco ou perfurações petrolíferas.

Segundo revelou, Obama quer atuar desde o princípio e poderia usar suas atribuições executivas para anular algumas das políticas de Bush.

"Há muitas coisas que o presidente pode fazer usando sua autoridade executiva sem esperar o Congresso e acho que veremos o presidente fazê-lo", assegurou.

O responsável pela transição de Governo afirmou que há muitos assuntos como a pesquisa com células-tronco, nos quais a nova equipe de Executivo discorda da Administração Bush que, em sua opinião, "atuou de forma agressiva para fazer coisas que provavelmente não são do interesse do país".

Durante sua legislatura, o presidente Bush vetou um projeto de lei para facilitar a pesquisa com células-tronco e autorizou a perfuração de 360 mil acres pertencentes ao estado de Utah para extrair gás e petróleo, ao que se opunham ambientalistas.

Podesta assegurou que a crise econômica não impedirá que Obama cumpra seu compromisso de melhorar os serviços de saúde, a política energética, revise a educação e aprove um corte de impostos à classe média quando assumir o cargo.

Ele destacou que "todos esses são assuntos econômicos centrais" que terão que ser tratados como uma unidade dentro de uma estratégia global que permita aos americanos "avançar energicamente através dessas frentes".

Obama se reunirá na segunda-feira com o presidente Bush para analisar a situação do país e falar sobre os assuntos que ficarão pendentes para a nova Administração. EFE elv/db

    Leia tudo sobre: obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG