Obama planeja congelamento parcial de gastos para deter déficit

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, deve anunciar um congelamento parcial de três anos dos gastos do governo para tentar reduzir o déficit orçamentário do país, que atualmente é de US$ 1,4 trilhão. Os detalhes devem ser revelados em seu primeiro discurso do Estado da União, nesta quarta-feira.

BBC Brasil |

Segundo informações divulgadas pela imprensa americana, os cortes não afetariam os setores de defesa e segurança interna, gastos com programas de saúde e ajuda internacional, previdência e o pacote de estímulo econômico.

Críticos disseram que os cortes planejados pelo governo americano, que não devem passar dos US$ 15 bilhões do orçamento do próximo ano, são insuficientes.

Autoridades responderam, no entanto, que o plano vai resultar numa economia de cerca de US$ 250 bilhões durante os próximos dez anos.

Críticas
O congelamento dos gastos deve afetar muitos programas domésticos e departamentos para os quais o Congresso destina orçamentos anuais, incluindo agricultura, transporte e educação e parques nacionais americanos.

Obama está enfrentando crescente críticas devido aos gastos do governo e o déficit orçamentário cada vez maior, em parte herança do seu antecessor na Casa Branca, George W. Bush.

No ano fiscal de 2009 houve um recorde deste déficit, de US$ 1,4 trilhão, e a previsão para 2010 é de um número ainda maior.

Com o congelamento, o governo terá mais possibilidade de sua ambiciosa pauta de reformas, especialmente as que estão relacionadas à educação e ambiente.

O correspondente da BBC em Washington Mark Mardell afirma que o problema para Obama é que em seu próprio partido existem muitos que são contra cortes.

E, para a oposição republicana, as medidas de Obama não devem resolver o problema.

"Devido aos gastos sem precedentes dos democratas em Washington, isto (o plano de congelamento parcial de gastos) é como anunciar que você vai começar uma dieta depois de vencer um concurso para devorar tortas", afirmou Michael Steel, porta-voz do líder da minoria republicana na Câmara dos Representantes (deputados federais), John Boehner.

No entanto, os democratas a favor do congelamento dos gastos devem responder que foi George W. Bush quem comeu todas as tortas no governo anterior, segundo Mardell.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG